sexta-feira, 13 de abril de 2012

Quinta das Carvalhas - Real Companhia Velha

Depois da visita à Quinta do Seixo, e ainda da parte da manhã, tínhamos a segunda visita deste Desafio Douro na Quintas das Carvalhas.

Imagem: Daniel Matos

A Quinta das Carvalhas, propriedade da Real Companhia Velha, é a maior e das mais antigas quintas do Douro com uma mancha imensa de vinha e com uma localização privilegiada, que proporciona vistas de cortar a respiração.
Chega-se pela "auto-estrada" do Douro (EN 222), vindo da Régua, ao chegar à famosa ponte do Pinhão, vira-se à direita para o interior da quinta, sempre com o Douro ao nosso lado.

Logo à chegada, tínhamos a receber-nos a Joana Pratas (comunicação) e o Rui Soares (viticultura), que foram os nossos anfitriões durante a visita e que mal chegámos nos deram a novidade que tinham uma surpresa preparada para os Desafios da Adega. Uma prova especial, preparada para o efeito, que ia muito alem da habitual prova turística.

Imagem: Daniel Matos

Apresentações feitas, houve que tomar lugar no mini bus que de há uns tempos a esta parte faz as visitas pela quinta, neste caso, devido ao elevado numero de participantes, teve a companhia de uma todo-o-terreno de caixa aberta.

A caravana arranca e à medida que vamos subindo e embrenhando-nos na quinta podemos constatar de imediato a imponência daqueles socalcos mostrando um trabalho notável de vitivinicultura. A meio do percurso paramos para as fotografias da praxe e para a primeira conversa com o Rui Soares, que nos enquadra com a historia da Real Companhia Velha e a importância que a Quinta das Carvalhas tem para este antigo e respeitado produtor, e dá-nos a conhecer um pouco da história destes vinhos.

A visita continua sempre a subir até à famosa casa redonda (antigo pavilhão de caça da propriedade) onde voltamos a parar para nova conversa à volta das castas e do terroir deste lugar. A dispersão do grupo nesta zona, é totalmente justificada pela vista ímpar que se consegue alcançar.

Imagem: Daniel Matos

Percorrido o caminho inverso, terminamos a visita de novo ao nível do rio e preparados para a etapa seguinte, a prova.
Tomámos lugar na sala de provas, que também serve de loja, onde já estavam as mesas preparadas para nos receber.

A surpresa preparada pela equipa da Real Companhia Velha passava pela prova de 6 vinhos, assente na sua maioria na gama Series.
Agora com a enologia, de novo, da responsabilidade do enólogo Jorge Moreira, que regressou à Real Companhia Velha com o objectivo de elevar a um patamar superior a qualidade dos vinhos deste produtor.
Provámos quatro brancos, um tinto e um Porto. Começou-se pelo mais recente Evel (2011), depois os monocastas Quinta de Cidrô, Gewurztraminer (2010), Chardonnay (2009) e o Sauvignon Blanc (2011). O tinto escolhido foi o Quinta de Cidrô Touriga Nacional 2009. Para terminar um Porto, o Quinta das Carvalhas Reserve Tawny.

Ainda perguntámos pelas novidades Carvalhas, os novos topos de gama da casa, mas ainda não estão a ser comercializados.

Imagem: Jorge Nunes

O resto da visita fez-se à conversa enquanto se escolhiam os vinhos favoritos para trazer. Resta-nos agradecer a forma como fomos recebidos e a prova especial que nos prepararam.

Como a manhã já ía longa, a entrar pela tarde, as barrigas davam horas e por isso foi com grande entusiasmo que o grupo chegou ao restaurante escolhido para o almoço, O Cantiflas, em São João da Pesqueira.

Esperavam-nos umas alheiras e umas morcelas de cebola que estavam uma maravilha e depois a famosa posta mirandesa, especialidade da casa, que apesar da fome levou a melhor sobre todos, pois as quantidades servidas eram de tal ordem que ainda sobrou. Também aqui há que realçar a forma como fomos recebidos e servidos, pois apesar das duas horas de atraso, houve sempre um sorriso na cara de quem nos servia. Mais uma prova, como se fosse preciso, da hospitalidade das gentes do norte.

Foi já confortados, com os estômagos saciados, que partimos para a Quinta do Quevedo, a próxima visita do nosso Desafio.  

Podem também seguir os Desafios da Adega no twitter e no facebook.

Sem comentários:

Enviar um comentário