segunda-feira, 23 de Abril de 2012

Jantar Folias de Baco

Apesar de um dia muito intenso, a chegada ao hotel não significava que este estava terminado, ainda havia mais um produtor para conhecer. Mas desta vez era o produtor que vinha até nós.

(foto Jorge Nunes)

Após um curto período para retemperar forças, foi rumar ao restaurante do hotel, onde já se encontrava tudo preparado para o jantar de apresentação dos vinhos Folias de Baco, com a presença do seu proprietário, enólogo, viticultor, director comercial e tudo o mais que seja necessário, Tiago Sampaio.

(Foto @dmatos )

O Tiago começou por contar-nos um pouco da sua história e do seu projecto.
A sua ligação ao mundo dos vinhos começa cedo através de laços familiares. Durante anos apostou na sua formação na área, tendo o culminar desse percurso sido feito nos Estados Unidos, na Universidade de Oregon, de onde trouxe a paixão pela casta Pinot Noir. Juntamente com a paixão, trouxe também alguns clones da casta para começar a sua aventura nas vinhas da sua família em Alijó.

(Foto @dmatos )

Foi nesse local, com vinhas velhas a 600 metros de altitude, que lançou mãos à obra  e deu inicio ao seu projecto Folias de Baco. Após a plantação das novas castas, reuniu assim as condições que achava necessárias para produzir os vinhos que tinha em mente.

Neste jantar tivemos oportunidade de conhecer e provar cinco referencias.

Moscatel Galego Branco 2010 (6 meses em inox) 

Olho no Pé Grande Reserva Branco 2009 (Viosinho, Gouveio e Rabigato, 12 meses em barrica, vinhas velhas)


(foto Jorge Nunes)

Olho no Pé Rosé Grande Reserva Tinto 2008 (Touriga Nacional e Tinta Barroca, 10 meses em barrica)

Olho no Pé Pinot Noir Grande Reserva Tinto 2008 (22 meses em barrica) 

(foto Jorge Nunes)

Apesar dos pratos não terem sido confeccionados a pensar na harmonização com os vinhos, a verdade é que combinaram muito bem. Tanto o polvo, como o cabrito, evidenciaram a grande aptidão gastronómica dos mesmos.

(foto Jorge Nunes)

Para o final doce, estava guardado o Olho no Pé Colheita Tardia 2008 (vinhas velhas, 22 meses em barrica), que acompanhou as diversas sobremesas disponíveis.

(foto Jorge Nunes)

Vinhos notáveis para um projecto notável. Uma marca e uma imagem forte, que nos traz um Douro de uma nova geração, inovadora e irreverente, sem nunca perder o lado tradicional e a forte ligação à região. Foram vinhos que impressionaram e agradaram a todos, no topo da lista o Pinot Noir e o Colheita Tardia. Um projecto muito interessante, ainda pouco conhecido entre nós, mas que merece toda a atenção.

O nosso agradecimento ao Tiago Sampaio por nos ter proporcionado este agradável jantar na companhia dos seus vinhos.

Folias de Baco
+351 960 487 850

E assim terminava o (longo) primeiro dia do Desafio Douro. Agora era tempo de descanso, que no dia seguinte pela fresquinha prometiam-se novas emoções.

Podem também seguir os Desafios da Adega no twitter e no facebook.

Sem comentários:

Enviar um comentário